Fotógrafo mostra aquilo que a Coreia do Norte tenta esconder

Desde a pobreza até os momentos de lazer dos soldados coreanos, quase tudo é censurado

Publicado em 04/03/2016

Eric Lafforgue, fotógrafo francês, passou meses viajando pela Coreia do Norte a fim de registrar detalhes do dia a dia das cidades por onde passou - como faz em todos os países para onde vai. Na volta para os Estados Unidos, oficiais norte-coreanos confiscaram parte de seus negativos que continham fotos que os ofendiam.

Por alguns anos, Eric sentiu arrependimento por ter perdido aquelas fotos. Depois de algum tempo, resolveu que o melhor seria viajar novamente para o país e tirar fotos que fossem realmente ofensivas. Ele, então, se preparou melhor para a segunda viagem: levou dois cartões de memória digitais, um para deixar em sua câmera durante a viagem e o outro para copiar as fotografias e mantê-las em segurança. Antes de embarcar de volta, guardou o segundo cartão na bagagem e deixou o primeiro na câmera. Seu objetivo era comparar as fotos dos dois cartões para descobrir o que os oficiais queriam esconder.

Com esse mesmo objetivo e estratégia, o fotógrafo voltou à Coreia do Norte mais quatro vezes. Depois disso, foi banido permanentemente do país por publicar algumas fotos em seu blog pessoal. Após isso, decidiu mostrar essas fotos proibidas e revelar os motivos da censura. 

Separamos algumas das imagens mais impactantes e as justificativas para serem apagadas: 

 

Essa foto de uma mãe descansando com seu filho em um banco foi deletada pelo medo de que as pessoas achassem que são moradores de rua.

 

 

Segundo o fotógrafo, a pobreza é tão grande que as pessoas vão a áreas verdes para comer grama e encher sacolas para levar para suas casas.

 

 

É proibido fotografar soldados coreanos em momentos de lazer ou descanso. 

 

 

Há muitas filas em todos os lugares, essa da foto é para o ônibus, em um dia normal de trabalho.

 

No site do fotógrafo, você pode ver mais fotos.